Criador do Rock in Rio planeja festival paralelo dedicado à música eletrônica

O empresário brasileiro Roberto Medina estuda o lançamento de um “filho” do Rock in Rio, um festival paralelo que seria centrado exclusivamente na música eletrônica e que, após sua passagem pelo Brasil em 2015, seguiria para Madri, Lisboa e Argentina.

Assim anunciou o empresário em conversa com a Agência Efe na noite eletrônica da terceira edição do Rock in Rio Madri, a qual contou com um público de 61 mil pessoas, o maior número entre os quatro dias do evento, e apresentou os DJs David Guetta, Martin Solveig e Pete Tong, entre outros.

“Estou super animado com isto. Seria como um filho do Rock in Rio, que, sem dúvida, também viria a Madri. A ideia é começar no Rio de Janeiro em 2015 e depois exportar para Madri, Lisboa e Argentina”, declarou Medina, que ressaltou que este projeto está “muito avançado do ponto de vista conceitual”, embora ainda não tenha um nome definido.

Segundo Medina, este novo festival de música eletrônica deverá utilizar as infraestruturas criadas nas distintas “cidades do rock”, mas com um entorno diferente e “uma cenografia incrível”.

Antes de dar início ao Rock in Rio da música eletrônica, o empresário se dedica aos preparativos das próximas edições do chamado “festival dos festivais”, que em setembro de 2014 será realizado tanto no Rio de Janeiro como em Buenos Aires, sede que receberá sua primeira edição.

Tá aí… mais uma notícia que comprova o poder de fogo da música eletrônica e pra quem não acredita, é só ver os números que a indústria da e-music movimentou em 2012!

E ainda tem gente dizendo que a e-music morreu hein?

A semana dos barracos…Deadmau5 strikes again!

Em entrevista à Rolling Stone, o principal alvo é o dj francês David Guetta, mas sobrou pra Skrillex e Madonna!

Ele tem dois iPods e um mixer e aperta os botões para dizer: “Olhem, esta track é com o Akon.”

Deadmau5 aka Joel Zimmerman, também não poupa Skrillex:

Ele leva um portátil e um controlador MIDI e toca aquele monte de merda.

O produtor e DJ mostra-se, contudo, otimista quanto à evolução do panorama da música electrônica.

As pessoas estão ficando mais atentas a quem faz isso.Embora tem gente que receba meio-milhão para apertar botões, e eu já aperto muito mais botões do que eles…

Quem também não é poupada é Madonna e a recente investida em território electrônico profundo.

Se vai fazer parte disso (da cena e-music), pelo menos faça com dignidade. Não é meu papel dizer que o que ela faz é insignificante, apenas é inapropriado…

#VISH…