Swedish House Mafia libera teaser de documentário

shm-image

Falta apenas um mês para o lançamento do documentário “Leave The World Behind”, filme que mostrará a vida do trio sueco Swedish House Mafia! Sem nenhuma coincidencia, o lançamento vai bater com a data da última apresentação da banda no Ultra Music Festival de 2013 em Miami.

Axwell declarou que todos os integrantes estarão reunidos na estréia do documentário em 16 de março no festival SXSW, mas que infelizmente não há nenhuma chance do retorno da banda.

Confira o preview no link abaixo

http://news.radio.com/2014/02/12/watch-swedish-house-mafia-tease-fans-in-new-leave-the-world-behind-clip-announce-sxsw-premiere/

Anúncios

Swedish House Mafia anuncia lançamento de documentário no SXSW de 2014

BdkFsHzCYAAOD6Y

A santíssima trindade irá oficialmente deixar este mundo para trás em março. Desde que o Swedish House Mafia se separou em março de 2013, o vazio desolador que eles deixaram não foi preenchido mesmo que os três suecos continuem suas carreiras solo. Fechando o UMF do ano passado, o mundo disse adeus à máfia sueca, que deixou para trás um legado muito maior do que suas próprias vidas.
Mas nem tudo está perdido! Ainda há uma chance de dizer adeus ao trio sueco, o Swedish House Mafia anunciou em sua conta oficial no Twitter, que seu documentário Leave The World Behind vai estrear em março no SXSW deste ano em Austin.
Por um breve momento, os fãs vão ter a oportunidade de conhecer verdadeiramente Axwell, Sebastian Ingrosso e Steve Angello e ouvir a história que eles têm pra contar, saber como eles realmente são por trás de todos os fogos de artificio e de seus mega shows!
E no final… Leave The World Behind :/

Os 12 Dj´s mais rico$ do mundo!

Calvin Harris

Calvin Harris – $46 milhões

tiesto

Tiësto – $32 milhões

David Guetta

David Guetta – $30 milhões

SHM

Swedish House Mafia – $25 milhões

dead5

Deadmau5 – $21 milhões

avicii

Avicii – $20 milhões

afrojack

Afrojack – $18 milhões

armin

Armin Van Buuren – $17 milhões

skrillex

Skrillex – $16 milhões

kaskade

Kaskade – $16 milhões

steve aoki

Steve Aoki – $14 milhões

djpaulyd

Pauly D – $13 milhões

#iNgualzinho #sqn

guile

dIPLO

Diplo – $13 milhões

Via Forbes

O último show do Swedish House Mafia no UMF

SHM4

Os cinco anos de Swedish House Mafia foram muito bem representados durante a apresentação do UMF que rolou ontem em Miami. Sebastian Ingrosso, Axwell e Steve Angello finalizaram seu legado com um show de arrepiar até o mais hater dos haters e quem dizer o contrário é recalque! As imagens apresentadas no telão junto da sequencia de acordes de “Greyhound(com mashup de Raise your hands)”, mostraram porque o Swedish House Mafia foi uma das maiores bandas do mundo e seu legado ainda vai permanecer por muitos anos na cabeça, e nos ouvidos, de muita gente.

shm5

A apresentação muito bem iniciada, seguiu a linha de sempre sem muitas surpresas, o barato ficou por conta das versões apresentadas de “Wakanda” (Dimitri Vegas e Like Mike) ,”Rasputin” (Hard Rock Sofa), “Leave The World Behind” (Laidback Luke), “Calling – Lose my mind” e o acréscimo de uma bateria eletrônica, que tornou a apresentação mais intensa e muito mais swingada! Após isso, é a vez de “In my mind” de Axwell gerar um coro enorme em Miami e no Youtube, quando a apresentação via streaming chega a mais de 180 mil.

shm6

As tracks “Ressurection Together” (Bootleg de Sebastian Ingrosso e Axwell), “Antidote vs. Zeus”, um mashup incrível de “Calling” e “Epic”, “Kidsos”, “Teenage Crime” (Adrian Lux) e  “Every Teardrop Is A Waterfall” (Coldplay) fizeram o SHM chegar ao topo do tt´s (pelo menos nos EUA) e quase mataram os saudosistas do coração.

Os suecos abusam do microfone pra chamar o público (como se fosse necessário!) pra gritar a cada virada ou drop das tracks, e “Knas” é solta com um mashup fod@ e isso mostra que Angello, Ingrosso e Axwell ainda vão fazer muito barulho, mesmo separados.

A emoção rola solta quando os primeiros segundos de “Don´t Worry Child” são identificados pelo público presente no show dos caras! No twitter, a comoção dos fãs (como eu) é vista por diversos tweets com trechos da música. Ever

shm7

A emoção tomava conta de Sebastian Ingrosso e Axwell, enquanto Steve Angello estava…Steve Angello – apático.

Steve estava em qualquer lugar do mundo, menos em Miami. Enquanto os outros suecos castigaram a bateria, Steve ficou responsável por soltar as tracks “Quasar” (Hard Rock Sofa), “Spectrum – Say my name” (Florence and The Machine), “Insomnia” (Faithless) e o clássico “Sweet Disposition” (The Temper Trap) que quase levou Miami abaixo!

O crowd levantado por eles será um dos momentos mais emocionantes da minha vida!

SHM1

Até tuítei que o show era épico, brutal, emocionante e do car@lho! Era impossível assistir sem empolgação. Por alguns momentos senti tanta coisa ao mesmo tempo que ficou difícil conter as lágrimas quando Axwell pegou o microfone e junto de Angello e Ingrosso agradeceu a receptivadade durante os 5 anos da banda e mostrou a trip perfeita para os edmaníacos com “Miami 2 Ibiza”

SHM3

“Scene one. Everybody get in your positions. Pay attention, and listen.
We’re trying to get this all in one take, so lets try and make that happen.
Take one, one, one, one, action!”
Miami 2 Ibiza

SHM2

Daí em diante, o final já era próximo e a emoção ficava cada vez mais intensa! John Martin subiu ao palco para salvar o mundo pela última vez ao lado do Swedish House Mafia.

“One”, o maior hit dos caras, foi o ápice da apresentação e com um sabor muito especial para esta que vos escreve afinal, foi a música que iniciou tudo isso, desde o Remixa até a minha própria carreira. Ainda toco a track como se ela fosse o último lançamento dos suecos.

shm8

Ainda rolaram as tracks “Reload” (Tommy Trash), Heart is King (Axwell) e a versão acústica de “Don´t Worry Child” enquanto o texto de agradecimento dos suecos aparecia no telão do UMF.

Foi uma grande honra assitir mesmo que pelo Youtube, a última apresentação do Swedish House Mafia e neste momento eu não encontro palavras para descrever a emoção que essas 1:30m me proporcionaram.

E em nome de muitos, registro aqui o nosso agradecimento pelos 5 anos de música boa e de apresentações que já entraram para a história da música eletrônica:

shm

Remixa DrOpS: Notícias do dia!

Drops Remixa

* O Swedish House Mafia lançou um aplicativo para IOS e Android, o Lisnr disponibilizará conteúdo exclusivo dos últimos shows da One Last Tour na Masquerade Motel e nas duas apresentações do UMF. Link para [IOS] e [Android]

** A Sirius XM vai transmitir o Miami Music Weekend e o  UMF 2013  acesse www.siriusxm.com

*** Skrillex anda recebendo elogios do NY Times, Billboard, Rolling Stone e da MTV por conta da trilha sonora de Spring Breakers. Cheiro de premiações no ar…

**** Diplo lançou nova track com a participação de Shaggy para série da HBO – Vice, o nome da track é Keep Cool e vai fazer parte do novo cd do Major Lazer que será lançado em abril deste ano.

***** David Guetta lança nova track “Play Hard”, clipe será lançado em breve. Nothing But The Beat ainda rende frutos, a track já alcançou a 16ª e 22º posição nos charts da Austrália e Reino Unido respectivamente.

****** Tem aplicativo com o line e horário das apresentações do UMF que começa nesta sexta (15), clique aqui

******* R3hab tem datas disponíveis a partir de 30/05 maiores informações com a 4MKZ Agency.

******** Deus e o mundo lançou remix para Suit & Tie do Justin Timberlake. Tá chato viu. O mesmo aconteceu com Scream & Shout do Will I. Am e até hoje não vi um remix legal.

********* Sexta-feira tem Shoot The Radio Vol. 2, tá massa viu… pesado como deve ser!

********** Porter Robinson e Madeon desembarcam no Brasil entre os dias 28 e 30 de março > direto para o Green Valley e inveja me define.

Swedish House Mafia é capa da revista Billboard

SHM 1

SHM2

Quando você pensa em uma camarim, de dj´s ainda, logo entende-se que é um lugar recheado de bebidas alcoólicas, groupies, assessores e muita badalação. Com os membros do Swedish House Mafia é ao contrário, não há nenhum tipo de bebida alcoólica, apenas chá verde e água, cupcakes e uma revista sobre a arte dos “sneakers” com a frase “Para Seb”.

Steve Angello, Axwell Hedfords e Sebastian Ingrosso apresentaram-se como um trio há 6 anos atrás quando tudo o que escrevemos na primeira frase do texto era comum na vida dos suecos no alto de seus 20 anos. Hoje, os membros do já declarado finado Sewdish House Mafia, procuram manter suas vidas “comuns” longe de excentricidades como pais de família e esposos exemplares. Depois desses 6 anos, os suecos já não mais os mesmos assim como a cultura da música eletrônica também não, além de virar algo extremente grandioso e rentável, as histórias da música eletrônica e do SHM estão cruzadas pois os caras cresceram junto desse império que a EDM tornou-se.
BLI_03162013

Nada mais justo do que uma capa da Billboard já que os suecos atingiram o disputado top 10 da revista com a “última” track “Don´t worry child”, atingindo o   10º lugar do chart americano. Não se pode dizer que o mesmo vai acontecer com o Baauer que ocupa o primeiro lugar do chart por conta do fenômeno do Harlem Shake, pelo simples fato de que a track é apenas um viral e virais tem dia e hora marcada para morrer na memória da internet. Receberá no mínimo uma menção nas retrospectivas de final de ano.

Diferente do SHM, por mais que muitos torçam o nariz e os haters gonna hate continuem a alfinetá-los por aí, os suecos serão lembrados por conta da revolução ocorrida na música eletrônica em 2010 (viu como as histórias se confundem? 2010 foi o ano de lançamento do single One) por conta dos mega festivais e do espaço aberto em todos os formatos de mídia para a música eletrônica, assim como David Guetta e outros que estavam no topo dos line-ups desses festivais e apresentações. Nunca na história, viu-se tanta devoção por festivais como o Tomorrowland, UMF, EDC e outros, e o SHM estava em todos.

A One Last Tour já tem data e horário para terminar em 2013, as 52 apresentações tiveram seus ingressos vendidos em recorde de tempo. Se a tour já tem data de despedida, o legado do SHM não.

Nada mal para um bando de suecos com nomes estranhos.

O Swedish House Mafia deve muito aos organizadores desses festivais e os festivais também devem muito aos suecos.Foi uma troca de favores que deu certo.