Remixa Brasil Entrevista: Mario Fischetti

Remixa Entrevista

Um dos mais respeitados DJs de house music, o brasileiro Mario Fischetti mantém sua agenda lotada e toca nos principais clubes e festivais do Brasil. Aos poucos ele foi ganhando espaço no mercado musical e migrou de um perfil artístico underground para uma imagem mainstream, sem perder suas fundações. Em 2004, quando recebeu o prêmio de melhor DJ de House do Brasil, passou a ser o embaixador da house music no País e a partir daí outras indicações para mais prêmios apareceram. Seu trabalho passou a ser comentado de maneira ostensiva em todo o Brasil. Mário já tocou ao lado de Erick Morillo, Harry Choo Choo Romero, Smokin Jo, José Nuñes, Roger Sanchez, Tânia Vulcano e abriu para o Basement jaxx em São Paulo.
No começo de sua carreira, qual foi a maior dificuldade encontrada, e como você a superou?
Com certeza na época a principal dificuldade era a falta de equipamentos como toca discos que naquele tempo eram bem caros. Superei isso conseguindo tocar em clubs desde cedo.

Quais são suas maiores inspirações?
Em geral um club me inspira muito por si só. Nesse exato momento estou dentro do estúdio fazendo uma track e minha inspiração é ter essa imagem do club na minha mente.

O que um dj/produtor precisa fazer para se destacar em uma mercado gigante e muito competitivo como o da música eletrônica?
Ter um som que o identifique é importante, mas estúdio e DJ Booth se completam então você tem que entender que o seu trabalho no estúdio está intimamente ligado ao que você vai tocar para o seu público no club.

Você acredita que o Brasil tem potencial para sediar festivais de grande porte? O que ainda falta para que a música eletrônica conquiste os brasileiros?
Absolutamente! O Brasil não só tem potencial como já tem bons festivais. O que precisa mudar é o respeito que secretarias de turismo e governos tem em relação à esse mercado, ou vocês pensam que a maioria dos jovens que estão em Florianópolis e Balneário Camboriú no verão estão lá aleatoriamente? Faça uma pesquisa com a maioria dos estrangeiros em Floripa no verão e você vai entender os seus interesses. Aqui damos as costas, em Las Vegas conseguiram absorver esse mercado e hoje os hotéis (que já viviam cheios) tem seus Night Clubs e Day Clubs lotados quase que semanalmente.

Quais são seus projetos para o futuro?
Focar na produção musical.

Maria Cdj vs. Dj´s Celebridades. O que é mais irritante?
Não perco tempo olhando pra isso, quem tem talento acaba se destacando.

Mario-Fischetti-7075

No tempo livre, como você o gasta? Quais são as baladas que você gosta de ir com os amigos?
Gosto de receber amigos em casa para bater papo, jantar etc. Ocasionalmente consigo sair com eles para alguma balada, se acontecer deixo que eles decidam, o importante é estar entre amigos!

O que você anda escutando? Tem algum álbum que gostaria de indicar?
Bastante coisa (risos)! De Daft Punk a Disclosure, de Knife Party a algumas coisas de trap. Não deixo de ouvir as coisas que sempre gostei como Disco, Soul, música brasileira de boa qualidade  pois são as minhas referências. Acho que hoje tenho a cabeça bem mais aberta do que anos atrás e na verdade tem sido bem enriquecedor principalmente no estúdio.

DJ-MARIO-FISCHETTI

Na cabine, qual a coisa que mais te irrita e o que mais te dá prazer?
Me irritar seria um exagero, mas não gosto de copos perto do set-up. Prazer na cabine é ter um set-up bem montado, equipamentos novos e um retorno ótimo.Nessas condições toco 5 horas de set tranquilamente.

Como você descreve a arte da discotecagem para quem não conhece e o que ela representa na sua vida?
É um exercício de sensibilidade e criatividade que cada DJ tem sua forma de demonstrar. Representa basicamente tudo. Sou DJ a quase que 2/3 da minha vida, a maioria das pessoas que conheci, incluindo meus melhores amigos, foi neste período. Junto com minha família talvez seja o maior presente que eu poderia ter ganho da vida.

http://www.facebook.com/mario.fischetti
http://www.twitter.com/MARIOFISCHETTI
http://www.youtube.com/djmariofischetti
neg@plustalent.art.br
(11) 33769900

Entrevista: Miriam e Olivia do NERVO

O reencontro com as pistas catarinenses foi muito mais breve do que imaginavam as irmãs australianas Miriam e Olivia Nervo. Em janeiro deste ano, quando pouco se sabia a respeito do projeto Nervo, as DJs hipnotizaram a plateia do festival Creamfields, em Florianópolis. Agora estão de volta, saboreando a ascensão fulminante no meio de um mainstream eletrônico ainda predominantemente masculino. Elas abrirão a sequência estelar da noite de sexta no Dream Valley Festival.

E a lista de bons préstimos como compositoras e produtoras é impressionante, de Kylie Minogue a Pussycat Dolls, Steve Aoki, Afrojack e Ke$ha. A manha com a qual transitam entre o house, o alternativo e a disco impulsiona as gêmeas nas pistas. Os desavisados logo identificarão a assinatura delas em hits como When Love Takes Over (parceria com o mentor David Guetta) e o recente Like Home (com o DJ Nick Romero), indispensáveis em seus sets. As gêmeas concederam juntas, como sempre, entrevista ao DC por e-mail.

Como foi tocar no Creamfields, em Florianópolis, em janeiro?

Nervo – Incrível! Não só Florianópolis é um dos lugares mais bonitos em que já estivemos, como o público era incrível. Mal podemos esperar para voltar.

Vocês eram modelos antes de entrarem para a indústria da música. Como foi a transição?

Nervo – Entramos numa agência de modelos aos 16 anos, mas não podemos dizer que fizemos trabalhos glamurosos. Nada de grandes campanhas ou coisa assim. Música sempre foi o foco. Mais recentemente tivemos oportunidades incríveis como modelos, que chegaram até nós pela música. Acabamos de fazer uma campanha para a Covergirl (marca de cosméticos americana), que foi excelente.

Antes de vir ao Brasil vocês declararam que estavam empolgadas para conhecer o público brasileiro. Fizemos justiça à expectativa de vocês?

Nervo – Sim, com certeza! Os brasileiros são tão “loucos” como esperávamos. Amamos a energia de vocês.

Vocês já fizeram parceria com a Britney Spears, Nicki Minaj, Ke$ha, Pussycat Dolls, Kylie Minogue e David Guetta. Qual o momento mais especial dessas uniões até agora?

Nervo – Todas são especiais, de maneiras diferentes. Nós adoramos trabalhar com Kylie Minogue porque ela é a pessoa mais doce na face da Terra. David Guetta sempre foi como um irmão mais velho ou mentor, então gostamos muito de trabalhar com ele. E Ke$ha foi engraçado porque foi logo no início da carreira dela que trabalhamos juntas, e foi ótimo vê-la estourar e se tornar uma mega estrela.

Vocês gostam e escutam música australiana? Que bandas e artistas recomendam?

Nervo – Amamos vários grupos e bandas australianas. Empire of The Sun é incrível, assim como The Bag Raiders, Miami Horror, Knife Party… e a lista vai embora. Também temos grandes DJs, como Tommy Trash, Hook N Sling, Bass Kleph. É muito bom ver tantos australianos trabalhando com música no mundo todo. Nos deixa muito orgulhosas por sermos australianas.

ViaROBERTA ÁVILA (Diário Catarinense)

Aline Mourad entrevista: Dj Bruno Ramos

O Dj Bruno Ramos tem a música no sangue. Descendente de tradicionais músicos de Alagoas, o talentoso Dj, teve seus primeiros contatos com a música em geral logo cedo, não só pela genética, mas por frequentar o universo da música eletrônica. Dono de uma incrível presença de palco e carisma, Bruno Ramos se destaca na cena por ser produtor e ter uma sensibilidade musical nata, em três anos de carreira tornou-se um dos mais requisitados remixers , tocando nesse período em boates e festas privates dentro e fora de seu estado como Substation, Sub Club, TOY (Maceió/AL, Boate onde foi Residente), Box Music (Maceió/AL Boate onde foi Residente), Metrópole Dance (Recife/PE), Meet Music (FORTALEZA/CE), Vogue (NATAL/RN & JÕAO PESSOA/PB), Off Club (SALVADOR), Muchacha Loca (BRASILIA), Edden (BELO HORIZONTE) entre outros.Atualmente, Bruno Ramos é residente de um dos melhores clubs de Maceió/AL, o H CLUB (HAVANA). Sempre com um som dançante e contagiante segue crescendo cada vez mais na cena e-music brasileira. O Dj Bruno Ramos começa a transitar nos melhores circuitos e vem encantando pela postura e habilidade no comando das pick-ups. Suas produções hoje são tocadas nas melhores baladas do Brasil e do mundo. Então fique de olho: você ainda vai ouvir muito sobre ele!

Quando começou a discotecar e como descobriu que tinha talento pra ser dj?

Comecei a 6 anos atrás, eu já era fã de boate, do house tribal, era amigo dos Dj’s das
boates, gravava cds para eles! Daí surgiu um concurso de Dj’s, e todos os meus amigos me pressionaram para participar! Eu já sabia mais ou menos como mexer naquele equipamento todo, então meti a cara e ganhei o concurso, a partir daí nunca mais parei de tocar!

Cite uma festa ou uma balada inesquecível!

Tirando a final do concurso que citei acima, acho que o Réveillon Pride (um dos maiores do Brasil no seguimento GLS) foi o que mais me fez feliz, porque comecei a tocar as 07:00h da manhã e todos meus amigos estavam lá em baixo e foi incrível, uma virada de ano perfeita.

Qual a pior experiência que você já teve como Dj e qual foi a coisa mais bacana que a carreira lhe proporcionou?

O começo de carreira sempre é muito difícil, principalmente nesse mercado que temos de Dj´s onde o que tiver o corpo mais bonito é o melhor. E no meu começo de carreira enfrentei muitas máfias, gente de todo lado querendo te derrubar, mas não adiantou, quem faz o trabalho com coração consegue!
E a coisa boa que me traz até hoje, é sempre o carinho do público que curte o meu trabalho, Brasil afora tem aquela galera que está sempre lá na frente pra te ver, e isso não tem preço.

Você tem algum ídolo?

Nossa, sempre me inspirei em um dos  Djs mais queridos do Brasil, e hoje grande amigo e irmão meu, E-Thunder (Igor Tamegão). Amo demais.

O que você costuma fazer e ouvir nos dias de folga?

Estou sempre rodeado de amigos, quase todas as noites eu tenho encontros para bater papo, rir! Musicalmente falando, sou fã do Los Hermanos,  escuto sempre e fico muito calmo durante a semana.

Vivemos em tempos de ”ataques de dj´s” vindo de todas as partes, isso de alguma forma te incomoda? Qual sua opinião a respeito?

Hoje em dia não me incomoda mais, não que eu me ache melhor, mas que pra quem entende de música, pra quem sente, gosta, procura e se dedica é interessante. Como falei no começo sobre “DJ de corpo bonito”. Dj de modinha passa.  E eu fico. (risos)

Quais são as 5 tracks que não podem faltar em seu setlist?

Vamos falar então de clássicos que eu amo.
Depeche Mode – Enjoy The Silence
Fragma – Toca’s Miracle
Gadjo – So Many Times
Corona – Rhythm Of The Night
Eurythmics – Sweet Dreams

Qual a dica de vocês pra quem esta começando a produzir ou discotecar?

Tudo tem seu tempo, primeiro aprenda a discotecar, depois a produzir. A pressa é inimiga da perfeição.

Mastiksoul lança novo álbum e conta curiosidades da carreira

Mastiksoul foi nomeado o quinto melhor produtor do mundo, editou mais de 200 músicas e suas tracks chegam sempre ao top 100 do Beatport. Agora, o DJ e produtor acaba de lançar o terceiro álbum, Mastiksoul Forever.
Poucos sabem que Fernando Figueira, 36 anos, conhecido como Mastiksoul, começou a carreira como dançarino.
“É difícil de acreditar por causa destas bochechas e desta barriga. Por volta de 1986 estava num grupo de breakdance e dávamos shows no Casino Estoril, em Portugal.”
Chegou a participar em campeonatos internacionais, mas começou a gostar da vertente que aparecera na época, o acid house.
“Agarrei-me a isso. Comecei a tocar por brincadeira com os amigos”
Agora, o DJ com raízes angolanas acaba de lançar o seu terceiro álbum, Mastiksoul Forever, que diz ter feito numa semana.Mastiksoul Forever já entrou no top 20 dos discos mais vendidos em Portugal.
“Pra mim é como se estivesse no número um. Sou realista e sei que a dance music não tem a mesma força”
É um dos DJ e produtores portugueses com mais atuações e prêmios no exterior, tendo tocado nos melhores clubes do mundo e colaborado com grandes nomes da música eletrônica. Foi o único Dj português com uma nomeação na categoria de Best House Artist nos Beatport’s Music Awards 2009.
“São nomeações justas porque são pelas vendas e não pelos meus bonitos olhos”.
Quanto ao seu estilo, Mastiksoul apelida-o de “groove africano”.“Sou africano e tenho minhas raízes musicais”.
De fato, a curiosidade pela música começou ainda em Luanda quando ajudava Eduardo Paim.
“Quando era pequeno frequentava muito a casa dele e via-o a tocar todos os instrumentos. Para mim era um deus.”
Outro músico com quem tinha uma relação próxima era (pasme!) Martinho da Vila, que tratava por tio.
“Nem tinha noção de quem ele era. Para mim era o tio. Era amigo dos meus pais e quando ia a Angola ficava na minha casa.”

De taxista a produtor
Nasceu em Angola, mas aos seis anos veio para Lisboa, onde ficou até aos 17. Fez as malas e partiu sozinho para França.
“Larguei os estudos. Comecei em festas malucas e adorava aquele andamento. Fazia festas de Karl Lagerfeld e com o Jean-Paul Gaultier. Achavam engraçado um mulato de 17 anos!”
Regressou temporariamente a Lisboa, e depois foi para Londres, onde foi estudar mixagem e produção. Acabou por não ter o diploma porque não teve dinheiro para pagá-lo.
“Era um curso que custava 10 mil libras”.
Começou então a trabalhar como taxista para se sustentar, apesar de não conhecer a cidade.
“As pessoas entravam no táxi e eu dizia para me indicarem o caminho. Eles achavam aquilo muito engraçado”
Voltou à escola, e fez amizade com um israelita e juntos fizeram músicas para anúncios da BBC.
“Comecei a fazer experiências no estúdio dele e enviei para uma distribuidora inglesa. Passados três dias me ligaram, queriam editar o disco. Pouco depois chegou outra proposta irrecusável: Era para criar meu próprio label, com os melhores DJ ingleses. De repente, passei de taxista a uma referência mundial”.Durante uma carreira com quase 20 anos, Mastiksoul passou por inúmeras situações engraçadas. Recorda especialmente uma no Bahrein, dois dias antes do conflito.
“Tive a infelicidade de passar uma música árabe no meio do set. Ficaram tão contentes que um segurança do sheik – o bar era dele – chegou com uma garrafa de [champanhe] Cristal, dizendo-me que o sheik queria que voltasse a pôr aquela música. A cada meia hora tinha de rolar a música!”.
Em Hong Kong foi parar a um after hours na casa do filho de Silvio Berlusconi. E em Pequim tocou num clube em que a polícia apareceu para desligar tudo.
“Achei que seria preso”.
Diz que o seu único vício é o cigarro.
“Não bebo álcool e nem me drogo. Nem sequer saio à noite, só quando me pagam. Uma vez fumei um charro e jurei que nunca mais fumaria aquilo. Fiquei tonto e me senti fora de órbita. Gosto de estar no controle da situação”.
O próximo grande desafio chega já para o mês que vem.
“Chama-se Bernardo. É o meu segundo filho. É um projeto ao qual vou me dedicar 100%”

Vi aqui

Aline Mourad entrevista: Zero aka. Disco Killah

Quando começou a discotecar e como descobriu que tinha talento pra ser dj?

 Eu comecei com  17 anos , só que desde os 14, 15 eu frequentava as festas nas falecidas Sound Factory – Penha e Toco , os dois clubs são mto mto importantes na minha vida , foi o berço de mtos djs e produtores que temos . Talento?? eu não tenho isso não hahahahah

Cite uma festa ou uma balada inesquecível e o porque.

 Nossa.. essa vai ser bem difícil rssss pq cada festa que eu toco tem o seu brilho especial , mas vamos la…. uma delas é a ”Whaaat?” em Uberlandia , foi a festa que eu conheci a minha noiva Ana ( que por sinal tbm é Dj “Frennzy” ) rsssssss

Quer conhecer a Frennzy? Clica aqui!

Qual a pior experiência que você já teve como dj e qual foi a coisa mais bacana que a carreira lhe proporcionou?

Eu fui tocar em uma festa “X” na cidade “X” ,  montei meu equipamento e desci até o bar p pegar um drink , qnd derrepente o dj que estava tocando ficou me chamando desesperadamente e eu fui até a cabine, chegando la eu vi o  ” estrago ”  todo meu equipamento ( laptop, placa de audio , controladora ) despencou de cima da mesa do dj  que era relativamente alta ,porque ela era em cima de um palco que no total dava uns 4 mtrs de altura, ai vc me pergunta,… aconteceu algo grave? sim rsss perca total do equipamento , e até hj o dono do club não entrou em contato comigo e isso era uma coisa que o club devia arcar com as consequências né? se o club tem uma mesa “improvisada” que todo o equipamento vibra por causa dos Subs , de quem é a responsabilidade de acidentes ????

Mas vamos as coisas boas né ?

todas as festas nas diferentes cidades que eu me apresento , sempre ganho novos amigos e novas pessoas que admiram o meu trabalho, eu sempre digo que o reconhecimento é igual um Diamante ( é mto valioso) . Ainda mais qnd se trata do Brasil que é um país bem dificil e onde as pessoas demoram um pouco p aceitar certas coisas

CDJ, controladora ou software?

 Então rsss… eu comecei tocando com Vinil ( Drum & Bass )  e graças aos valores dos 12” importados que sempre foram mto mto caros  eu fui obrigado a ir p o Cd , fiquei anos com eles rssss , no ano de 2010 eu migrei p o Ableton + controladoras e a minha vida mudou rsssss

Você tem algum ídolo?

 Muitos mtos , só que o principal é o cara lá de cima sabe ? não to falando dos pilotos de aviões (rsssss) e sim do Papai do céu

O que você costuma fazer e ouvir nos dias de folga?

 Jogo Vídeo Game com o meu filho, e produzir as minhas tracks  ( Sim fazer música é a minha diversão) da mesma maneira que as pessoas jogam ou assistem futebol , assistem corrida ou vão correr no parque , só que no meu caso eu faço música , alguns dizem que eu sou workaholic , que eu sou louco, que eu devia sair de casa p ir ao parque, ou ao cinema e etc…. Só que no meu caso eu realmente amo música !!! Qnd eu e a Frennzy não estamos tocando, nós vivemos no nosso quadrado, no nosso mundo , nosso estudio rssss , sempre falamos que é o nosso momento , o momento de Disco Killah & Frennzy + música + budweiser + cigarros + boas e verdadeiras risadas.

Eu sou um verdadeiro amante da house music em geral  , mas em especial  hip hop + R&B ( as melhores vozes ) , gosto muito de classicos dos anos 50 & 60  tbm ( meu cabelo já diz isso né? rsss )

Vivemos em tempos de ”ataques de dj´s” vindo de todas as partes, isso de alguma forma te incomoda? Qual sua opinião a respeito?

Eu não sou contra os ataques de “DJS” desde que seja feito com muito  amor e comprometimento , todos tem o direito de aprender coisas novas na vida e uma delas eu acho que é a música , a alguns anos atras era febre ser guitarrista e todos os meus amigos tocavam guitarra , só que não tinha bateristas ; é igual o dj e o produtor , todo mundo quer ser Dj más ninguém quer perder o seu tempo em aprender a fazer as suas próprias tracks e remixes, será que pode ser comparado com o lance de Guitarra x baterista ?  pela visão dos leigos : o guitarrista aparece mais publicamente, já o baterista fica lá traz escondido rssss , só que os dois são fundamentais na execução do trabalho, já pensou como seria um show todo sem um baterista ?? e como seria uma festa em um club sem os produtores das faixas ?  rssss , na real um não vive sem o outro e eu sempre falo sobre o assunto no meu facebook e twitter , só que muitas vezes sou criticado por fazer isso , eu só não entendo o pq de ser criticado qnd eu falo no assunto de eu querer que todos os  ”novos DJS” comecem a produzir as suas tracks e remixes , se um dia isso vir a acontecer o Brasil vai mostrar a sua força e talento p o mundo todo.

Quais são as 6 tracks que não podem faltar em seu setlist?

Auto propaganda pode né ? rsssss, o meu próximo lançamento:

1 – Disco Killah – Time To Change

 2 – A nova track que eu e a Frennzy fizemos em parceria com a nossa amiga e incrível cantora de Fortaleza Nayra Costa

Disco Killah & Frennzy Feat Nayra Costa – ID Track (faixa ainda sem nome)

 3 – A nova track dos meus amigos André & Thiago

The Kickstarts & Adriano Pagani – AP32

 4 – Os mestres Dada Life

Dada Life – White Noise Red

 5 – Os meus queridos amigos/irmãos de Belo Horizonte Sexistalk

Sexistalk – Ticking Mamba

 6 – Novos talentos apadrinhados pelo mestre Steve Angello

Qulinez -Troll

Qual a sua dica pra quem esta começando a produzir ou discotecar?

Sempre estude coisas novas , vc nunca vai ser bom o suficiente p falar ” EU NÃO PRECISO APRENDER” ,   ouça coisas novas diariamente  ,compre faixas semanalmente no beatport ou outras music store (sim é barato) , escute mixes de outros djs diariamente , em suas produções evite usar loops prontos de samples pack (que atire a primeira pedra quem nunca usou um loop conhecido rsss) é bom vc ciar os deus próprios beats, bass lines e etc assim você cria a sua prórpria caracteristica musical, sempre divulgue o seu trabalho nas suas redes sociais e nunca esquecendo os blogs e sites especializados no assunto, sempre  envie os seus  promos p outros djs .

O segredo do sucesso é:

Sempre sonhe , sempre faça planos para você e para a sua carreira e tenha muita  Humildade ,Respeito . e o mais importante de tudo: verdadeiro amor pela música.

Meus agradecimentos a todos vcs  que são envolvidos no Remixa Brasil ,  ❤ muito obrigado pelo lindo convite e pela força que vcs dão p a cena da EDM Brasileira .

Ouça a Mixtape que o Killah fez exclusivamente para o REMIXA!

http://w.soundcloud.com/player/?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F41411698&auto_play=true&show_artwork=true&color=4debff

Aline Mourad entrevista: Dj Adriano Pagani

Um dos maiores nomes da cena House/Electro no Brasil, Adriano Pagani residente da Mega Festa Spirit Of London, que reuni cerca de 40 mil pessoas por edição em SP, tocou ao lado de Mauro Piccoto no Sirena, ao lado do Top DJ nº 1 do Mundo Paul Van Dyk em São Paulo e ainda é residente do cruzeiro Vibe Fest.

No início de 2005 Adriano Pagani assinou sua residência no cruzeiro Vibe Fest On Board, tornando-se o DJ Oficial. Seu set hoje envolve vários elementos da House Music aliados às batidas vibrantes do Electro e Progressive House.

Atualmente faz parte do casting da agência de The B Side Music Management e também é residente mensal da Pacha São Paulo, além de estar nos principais clubs, festas e festivais de música eletrônica, entre eles: Sirius, Zenith, Eivissa,Lotus, Café de La Musique, Sirena, Electrance, Adsutra, etc.

O artista comanda o famoso programa radio show Vibe 97 da Rádio Energia 97 FM de São Paulo que vai ao ar todos os dias as 14 horas. Vários artistas internacionais foram convidados a tocar ao lado do DJ Adriano Pagani como Tiesto, Ferry Corsten, Tall Paul, Green Velvet, Layo and Bushwaka, Skazi entre outros. O DJ lançou nove CDs nos últimos quatro anos. Todos os trabalhos levaram o nome de seu programa Vibe 97.

E como se não bastasse tudo isso, Pagani além de mandar muito atrás das pick-ups, é um exemplo de gentileza e humildade.

Confira a entrevista exclusiva de Adriano Pagani para o REMIXA no Dia Mundial do Dj!

Em sua descrição no Soundcloud, vimos que você descreve que suas tracks passam pelo conceito e pelo mainstream! Então você se considera um Dj completo?
Me considero um dj que sabe se portar para cada tipo de pista! Existe situações que vc precisa ter o feeling e entender como a pista esta naquele dia! Nao gosto de me rotular,acho isso muito complicado para a carreira do dj!

Você começou a tocar com 16 anos, nessa época qual foi a maior dificuldade que você encontrou?
Dificuldade era ter as musicas,vc nao tinha como ter a musica se nao fosse ter o vynil o famoso 12 polegadas! Tbm os tops da epoca tinham o total controle do mercado, tudo eles tinham primeiro,aquela epoca para aparecer vc tinha que ser muito bom,mas muito mesmo! Tanto em tecnica quanto em repertorio!

Como foi o caminho até a 97fm?
Falo com muita emoçao isso! Meu sonho era trabalhar em radio isso me fascinava e fascina muito até hoje! Entrei em 1997 sai em 1998 e voltei em 2000 colando adesivo nos carros ou seja bem do começo de tudo mesmo, nesse mesmo ano ja migrei para parte artistica da radio,poucas pessoas sabem mas sou programador musical ao lado do meu coordenador sombra a qual devo uma boa parte do meu sucesso tanto ele quanto ao zé que é o socio/diretor da energia! O programa vibe 97 entrou no ar em 2003,veja quanto tempo se trabalha para vc atingir alguma coisa rs

Você acredita que a cena eletrônica brasileira está em crise com esses ‘’ataques de dj’’ ou isso mostra que a profissão nunca esteve tão em alta?
A cena eletronica sempre esta em mutaçao! Vivemos num pais aonde a musica eletronica nao esta nas raiz do povo,mas isso esta mudando,sinto isso pelas festas e pelo nivel dos djs que tem aumentado! A profissao esta em alta sim a um bom tempo,esses “ataques de dj” sao consequencia disso,nao sou contra ng querer ser dj,mas seja responsavel,respeite quem vive disso,estude,entenda o pq disso daquilo! Tempestade uma hora passa só fica mesmo quem conhece do assunto!

Em sua opinião, qual a maior dificuldade que um dj iniciante encontra para lançar-se no mercado?
Oportunidade com ctz,hoje vc se tornar um “real top dj” é muito dificil,existe muita gente boa aparecendo,gente que respira isso 24hs fiz um contest de uma track minha junto com a dj ban ,fiquei impressionado com a qualidade dos remix!! A verdade que hoje existe muito dj para pouco club,festa,etc……

Você é a favor de bootlegs de grandes tracks do passado ou isso é ruim de certa forma?
Sou a favor,mas com moderaçao rs ,acho que de vez em quando é bom ser saudosista,mas o que movimenta a cena é o que vai vir nao o que ja foi! Temos que cada vez mais colocar hits na boca do povo,só assim a musica eletronica estara sempre viva!

Uma pesquisa encomendada pelo RMC mostra que a música eletrônica no Brasil, cresceu muito nos últimos anos, você acha que isso se deve por algum motivo em especial?
Motivo especial, foi o trabalho de todos que fazem isso com muito carinho e amor, cada um tem sua contribuicao, posso falar pelo nosso trabalho aqui na energia e unica que é 100 e-music do brasil, garanto para vcs que temos uma boa parte de contribuicao para esse crescimento,precisamos de mais tops no brasil para crescer mais

Quais as novidades para 2012?
Novidade para dj sao musicas e é isso que tenho feito,minhas musicas estao tendo um feedback fantastico e quero dar continuidade nisso! Sempre buscando aprimorar as producoes e tentar agradar cada vez mais!

Pra finalizar, deixe uma mensagem para os fãs e para os leitores do REMIXA!
Obrigado a todos que estao sempre comigo na radio,na noite,no sirena nas festas e agradecer a todos os leitores do remixa e tbm ao staff pelo convite and
GOOD VIBRATIONS!!!!!!

Siga Adriano Pagani no Twitter: http://twitter.com/adrianopagani | Soundcloud: http://soundcloud.com/adrianopagani | Facebook: http://facebook.com/djadrianopagani | Myspace: http://myspace.com/adrianopagani |

https://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F35857711&show_comments=true&auto_play=false&color=fffc00 Adriano Pagani – Panther by adrianopagani

https://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F27607096&show_comments=true&auto_play=false&color=00ff75 Vee Brondi, Marcelo Sa, Adriano Pagani & DS Project – Noisy (Original Mix) by adrianopagani

#FALA AÍ: Groove Delight

Ela é sensacional! Ela é talentosa! Ela é incrível! Ela é Groove Delight! A paulistana dj, produtora e sensação do momento: Keé Fernandes aka. Groove Delight! Se você não conhece ou tem alguma dúvida, visite a página do Soundcloud e tire suas conclusões. Além de conquistar e agitar todas as pistas por onde passa, Keé ainda divide seu tempo dando aulas de produção e mixagem! Já pensou em ter uma das maiores produtoras do Brasil como tutora? Clique aqui e saiba como.
Com um currículo sensacional, carisma e talento de sobra, essa garota ainda vai incendiar os ouvidos de muita gente com seu bom gosto e sua criatividade. O REMIXA tem a honra de trazer pra você, essa entrevista exclusiva com Groove Delight, um dos nomes que você deve ficar de olho em 2012 (lembra que a gente falou dela em nosso post profético no finado Blog da Monga), então não perca tempo, e assim que acabar de ler, corre no Soundcloud pra ouvir muita música boa e corre pra marcar aulas com ela. E você dono de club: já sabe né?

Quando começou a discotecar e como descobriu que tinha talento pra ser dj?
Na realidade o que me moveu a esse sonho foi justamente a música. Nada além disso.
Eu nunca parei pra pensar: “será que tenho talento?”.. Eu me joguei nesse sonho com toda confiança
do mundo de que sim, eu iria conseguir. Sou bem nova, tenho apenas 19 anos, mas sempre fui apaixonada
por música desde cedo e house, flash house, dance music, flash back sempre fizeram parte da minha rotina
desde os meus 7, 8 anos de idade por meus pais ouvirem bastante, e hoje eu me pego ouvindo as músicas
que eles ouviam e me influenciaram a ter a ânsia de procurar saber sobre os gêneros.
Com meus 13 anos acho que foi quando comecei realmente a ficar fascinada com música eletrônica,
e eu daí então comecei a procurar tudo sobre.. Muita gente me pergunta hoje: ” vc não gosta de techno?
full on? drum and bass? minimal?” e justamente por ter passado muito tempo da minha adolescência
lendo e aprendendo sobre a música eletrônica, sou super eclética e gosto de tudo que ao meu ver seja bom,
independente do gênero. E diante desse tempo de aprendizado eu logo de cara já queria ser dj e não demorou
pra que eu fosse atrás disso…
 Cite uma festa ou uma balada inesquecível e o porque.
Agora você me pegou, porque sou super cautelosa pra responder esse tipo de pergunta.
Não há uma melhor sabe? Eu sempre dei muito valor a cada gig que fui, porque a energia que você
recebe quando sobe na cabine, isso sim é realmente inesquecível… Independente do local,
se está próximo ou longe da sua casa e etc.. E já julgando dessa forma, acho que a energia que recebi
na tour que fiz no Paraná foi incrível. Aquele final de semana foi um dos melhores da minha vida.
Eu estava passando por uma fase difícil profissionalmente, e aquele fds me curou de todas dores
que existiam. É inexplicável a forma como amo tocar, e como tocar faz de mim uma pessoa melhor.

Qual a pior experiência que você já teve como dj e qual foi a coisa mais bacana que a carreira lhe proporcionou?
Já tiveram experiências horríveis como, de chegar na festa e o cara não pagar, e etc..
Já uma experiência bacana em minha carreira , tiveram várias.. Quando vi o Joris Voorn na lista das pessoas que ouviram minha track
no mês, eu quase chorei de emoção. Mas acho que quando o Gabe respondeu um email meu dizendo que tinha curtido meu som
e logo em seguida o Marcello Vor me mandou uma mensagem dizendo que tinha curtido meu som, e que o Gabe havia lhe mostrado
fiquei super feliz. Isso mostra que além de gostar ele achou interessante mostrar para outras pessoas.
Na realidade, vários momentos são preciosos, tive muitos, mas acho que esses marcaram bastante!!!

CDJ, controladora ou software?
Nada contra quem toque com software ou controladora, mas prefiro CDJ !!!

Você tem algum ídolo?
Vários. Simon Garcia, Danny Daze, Frivolous, Miguel Campbell, Joris Voorn, Noir,
John Acquaviva, Mark Knight, Axwell e etc.. Tenho bastantes!!! hehehehe

Vivemos em tempos de ”ataques de dj´s” vindo de todas as partes, isso de alguma forma te incomoda? Qual sua opinião a respeito?
Não me incomoda, na realidade eu não to nem aí pra esse tipo de coisa. Tenho músicas a fazer e meu som pra divulgar.
Sem dúvida é ridícula a forma como a nossa profissão tem sido recebida, isso tira todo respeito de nós djs de verdade!
Mas não me importo, acho que há muito mais dentro de nós!

 Quais são as 5 tracks que não podemfaltar em seu setlist?

 Difícil responder essa heim, nunca toco a mesma coisa. Mas tenho tocado bastante mashups e produções de minha composição.

Alex Stein vs Underworld – Berlin Sleep (Groove Delight Mashup Mix)

Ron Costa vs Deadmau5 – The 16th Hour (Groove Delight Mashup Mix )

Vogue & Wasabi & Stein vs Jerome Isma Ae – No Mother vs Hold on Back (Delight Mashup Mix)

Groove Delight & Carlos Pinheiro – Cronologia (Original Mix)

Groove Delight – Tribute to Royksoop (Original Mix)

Qual a dica de vocês pra quem esta começando a produzir ou discotecar?

Não tenha pressa e dê tempo ao tempo. Seja dedicado, e se empenhe. Não se importe com o que os outros vão dizer, se ama realmente isso, se entregue!

O segredo do sucesso é:

Eu queria muito responder que o segredo é ser original, mas na mídia em que vivemos hoje, o segredo têm sido ser igual aos outros. Não dão mais oportunidade a coisas diferentes, então vamos lutando …

E aí gostou?Quer mais? Veja a performance ao vivo(djset) de Groove Delight!

Agende-se

17/02
Soulvision Festival – Club Stage

18/02
E-Music Carnival – Headliner SP

10/03
Club – Barra do Sul SC

17/03
Green House – Curitiba

14/04
Magic Sun Festival – Curitiba

20/04
Free World – Mauá

BOOKINGS:

Email: groovedelight@hotmail.com

Skype: groovedelight

https://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F35106883&show_comments=true&auto_play=false&color=00cdff Gramophonedzie – Number One (Groove Delight Bootleg) *Free Download* by Groove Delight

https://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F34606885&show_comments=true&auto_play=false&color=ff0068 Groove Delight & Leo Lacerda – I Get Mess (Soundcloud Edit) by Groove Delight