Hoje é o dia mundial do Dj!

De onde saiu essa data ou quem a inventou, eu não sei. Mas o que sei é que: sim! Nós temos muito o que comemorar! A cena da música eletrônica nunca este tão em alta! Nos últimos dois anos vimos o ressurgimento da então considerada música da noite e para noite. Mas em contrapartida, também fomos atacados por uma praga chamada ”fake dj”, mas na boa: WHO CARES? Provavelmente, você leitor já deve ter ouvido falar de Karol Konká e a música ”Boa Noite”, para resumir o que penso sobre os fake dj´s, utilizo um trecho dessa track:

Ganhando essência sem desperdiçar
Se identifique, então se posicione
Quem é real não se esconde
Ouça esse som bem alto e se emocione

Não preciso dizer mais nada né?

O que realmente importa é que a cena esta mais viva do que nunca e concordo com David Guetta que disse há pouco tempo atrás que ”a e-music será tão grande quanto o hip-hop”. E tenho certeza de que será mesmo. A e-music ainda vai ocupar muito topo de charts por aí. Mas estamos aqui pra homenagear o grande responsável por todo esse sucesso: O DJ!

Se não fosse por ele a cena de e-music mundial, jamais estaria tão boa. O dj se tornou o grande responsável pelo sucesso da noite. E em muitas vezes pelo fracasso dela também. Digo isso, porque até então restrito à sua pequena cabine, o Dj toma ares de ”SUPERSTAR” e as vezes é muito mais respeitado do que a ”celebridade” contratada pra ficar na aréa vip (quando a regra do jogo era essa).  Não importa o que ele utilize para fazer seu som, desde que esse som saia e cause algum efeito em quem está lá na pista. Mesmo com todos os contras que a profissão tem, a grande sacada é sentir alguma emoção. Ricardo Guedes dizia que ”se não tiver risco, vá embora pra casa”, então o grande barato de ser Dj, é a emoção que isso proporciona. Sinto coisas inexplicáveis atrás de uma cdj, coisas que só quem está lá sabe o que é. Só quem esquece um cabo, esquece a case, grava cd em formato errado, saca quando a track não está agradando e pula junto quando tem a oportunidade de tocar a sua track favorita e fazer a pista dançar com você sente isso. Isso é emoção!

Só quem é Dj sabe o que isso significa.

Há  25 anos atrás, perdíamos um dos maiores dj´s brasileiros de todos os tempos: Ricardo Lamounier. Neste ano, completa-se dois anos da perda de Ricardo Guedes e Gregão e um ano da morte precoce do Dj Mehdi.

Não espere eles irem embora, para valorizá-los.

Viva o Dj!

Viva o Dj brasileiro.

Anúncios

12 comentários

  1. “(…) Sinto coisas inexplicáveis atrás de uma cdj, coisas que só quem está lá sabe o que é. Só quem esquece um cabo, esquece a case, grava cd em formato errado, saca quando a track não está agradando e pula junto quando tem a oportunidade de tocar a sua track favorita e fazer a pista dançar com você sente isso. Isso é emoção!
    Só quem é Dj sabe o que isso significa.
    Há 25 anos atrás, perdíamos um dos maiores dj´s brasileiros de todos os tempos: Ricardo Lamounier. Neste ano, completa-se dois anos da perda de Ricardo Guedes e Gregão e um ano da morte precoce do Dj Mehdi.
    Não espere eles irem embora, para valorizá-los.
    Viva o Dj!
    Viva o Dj brasileiro.”

    É tudo.

Fala aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s