Como Amon Tobin está revolucionando o Dj Set?

Antes de responder, vamos fazer outra pergunta: Quem é Amon Tobin?

Segundo o Wikipédia, Amon Tobin (nascido Amon Adonai Santos de Araujo Tobin, no Rio de Janeiro, Brasil) é um DJ e produtor de música eletrônica. Radicado em Londres desde o início da década de 1990, reside atualmente no Canadá. É conhecido pelo uso de bases rítmicas do drum’n’bass, fundindo-a com o jazz e o hip-hop. No seu primeiro disco usou o pseudônimo Cujo. É tido pelo site All Music Guide como um dos mais originais artistas em atuação na música eletrônica.

Você nunca ouviu falar de Amon Tobin? Não esquenta, a gente também não. Sem contar que a gente achou que era algum integrante da Família LimaZZZzzzzróinc que tocava naquele projeto ”de música eletrônica” do irmão da Sandy, o Xúúnior Lima…

Mas uma coisa é certa, realmente o cara está revolucionando em suas apresentações, é impossível não ficar embasbacado ao ver esse vídeo:

http://thecreatorsproject.com/pt-br/blog/como-amon-tobin-est%C3%A1-revolucionando-o-dj-set-v%C3%ADdeo 

Embora diga explicitamente que “não está tentando reinventar a roda”, depois de assistir ao trailer da performance ao vivo do DJ brasileiro residente em Montreal Amon Tobin do seu novo álbum ISAM, não pudemos deixar de pensar que essa tela belamente concebida poderia mudar a maneira como experimentamos os DJ sets. O que não sabíamos ainda era que Tobin sempre esteve procurando maneira de melhorar sua música visualmente, dando um ambiente aos sons e usando colaborações para estabelecer narrativas mais profundas.

Para seu oitavo álbum de estúdio, ISAM, Tobin se uniu a Tessa Farmer, uma artista visual que produz instalações cenográficas taxidermistas delicadamente coreografadas feitas com insetos, animais e ossos; e pediu a ela que fabricasse cenas para cada uma das músicas do disco. Permitindo que cada música existisse no espaço físico de uma galeria, ele alcançou um grupo inteiramente novo de pessoas que poderiam não conhecer sua música. (Se a obsessão bizarra de Farmer por insetos chamou sua atenção, leia mais no site da Vice.)

Em outro empenho para criar uma experiência visual para sua música, Tobin chamou os experts em projeção de mapeamento do V Squared Labs e Heather Shaw do Vita Motus Design para conceber um cenário para performances ao vivo, e Alex Lazarus da Blasthaus para o design de produção e direção criativa. Veja como eles chegaram até o conceito de “uma estranha fantasia adolescente sobre estar numa nave espacial” no vídeo acima.

Anúncios

Lançamento: David Guetta ”Nothing but the beat”

Da Folha e House Mag

Para que ficar circulando por inferninhos úmidos quando se pode tocar em estádios e faturar milhões?

O DJ francês David Guetta, 43, encontrou o bilhete premiado em “One Love” (2009), disco no qual impulsionou o house para as massas, em meio a participações de astros do pop mundial.

Agora, em “Nothing but the Beat”, seu novo álbum, que foi lançado ontem, o produtor preferido do Black Eyed Peas leva essa experiência a outro nível.

Dividido em dois CDs, o trabalho tem a pretensão de unir o passado e o presente do coautor de “I Gotta Feeling”.

No primeiro disco, fornece as bases para estrelas cobiçadas do pop, do hip-hop e do R&B soltarem suas vozes. No segundo, instrumental, parece querer relembrar a época em que frequentava as listas de “Top DJs”.

O francês se coloca como figura central de uma teia de artistas que usam colaborações como moeda de troca.

Se em seu último álbum ficou “devendo” a Kelly Rowland pelo hit “When Love Takes Over”, agora se endivida com toda a patota do “mainstream” atual.

Pop stars em franca ascensão, como Flo Rida, Taio Cruz, Jennifer Hudson, Nicki Minaj e Jessie J concedem público e prestígio. Os consolidados will.i.am, Ludacris, Timbaland e Lil Wayne emprestam credibilidade.

O teor das canções repete o clima “sexy chic” do álbum anterior, como mostram “Little Bad Girl”, “Night of Your Life” e “I Just Wanna F*“.

Nothing but the Beat
ARTISTA David Guetta
GRAVADORA EMI
QUANTO US$ 9,99 (R$16), na Amazon.com

Tracklist:

CD1 – Vocal Album
1. Where Them Girls At (feat. Nicki Minaj & Flo Rida)
2. Little Bad Girl (feat. Taio Cruz & Ludacris)
3. Turn Me On (feat. Nicki Minaj)
4. Sweat (Snoop Dogg vs. David Guetta) [Remix]
5. Without You (feat. Usher)
6. Nothing Really Matters (feat. will.i.am)
7. I Can Only Imagine (feat. Chris Brown & Lil Wayne)
8. Crank It Up (feat. Akon)
9. I Just Wanna F. (feat. Timbaland & Dev)
10. Night Of Your Life (feat. Jennifer Hudson)
11. Repeat (feat. Jessie J)
12. Titanium (feat. Sia)

CD2 – Electronic Album
1. The Alphabeat
2. Lunar
3. Sunshine
4. Little Bad Girl (Instrumental Edit)
5. Metro Music
6. Toy Story
7. The Future
8. Dreams
9. Paris
10. Glasgow

Nossa opinião: ZZZZZzzzzzróinc!

Brincadeira!

Vale lembrar que Nothing But the Beat, foi lançado cheio de novidades interativas, como uma festa on-line durante 24 horas, tudo para que os fãs do dj e produtor francês possam curtir todas músicas desse álbum duplo. E ainda tem hotsite especial cheio de surpresas e novidades também. E ainda rola de quebra, uma competição, aonde o vencedor vai poder participar do novo vídeo-clip de Guetta. Ou seje, grave um vídeo curtindo uma das faixas do novo cd e tenta a sorte, quem sabe você não aparece em alguma piscina ou em cima de um prédio dançando com um rapper e uma gostosa?

Para se informar e participar é só acessar:

http://24hour.davidguetta.com/ 

Corre que tá acabando o tempo!

Um rebelde do Techno:Dan Sicko (R.I.P)

Dan Sicko, jornalista de música e cronista do movimento techno de Detroit, morreu de câncer no domingo em sua casa em Michigan.

Dan também escrevia para o  site Techno Rebels.

Sicko fez o seu início de carreira como jornalista freelancer escrevendo para revistas como Wired e Urb. Sua área de especialização foi na cena techno de Detroit a história, que Sicko testemunhou em primeira mão nos anos 80 e 90. Em 1999, ele deu ao movimento o texto que mais definiu a cena dos rebeldes do Techno: The Renegades of Electronic Funk, um livro que conta as ‘’origens da música’’.

Em 2008, Sicko foi diagnosticado com uma forma rara de câncer de olho chamado melanoma ocular. Após três anos de tratamentos, os médicos declararam o progresso da doença ser irreversível e mandou para os cuidados paliativos na sexta-feira. Ele morreu em casa dois dias depois. E pra quem deseja ajudar a família de Sicko, é só clicar no link abaixo.

http://www.gofundme.com/DanSicko

 

Mais um nome confirmado para a tenda eletrônica do SWU!

Avicii!

Quem?

Avicii! O dj sueco mais fofinho das pick-ups! O nome de Avicii foi super comentado durante esse mês de agosto, já que o gato estava envolvido em uma polêmica com a cantora Leona Lewis.

O dj sueco acusou a cantora de plágio por usar a versão instrumental de Fade into the Darkness na canção Collide, do novo álbum de Leona.

Mas a acusação foi confirmada e Leona deu os créditos mais que devidos ao dj.

Só não foi parar na nossa série – Barraco na Cabine, porque os dois entraram em um acordo amigável ($$$) e a canção foi lançada como Collide – Leona Lewis feat. Avicii.

E independente desse barraco, o sueco Avicii foi confirmado na tenda eletrônica do SWU nesse final de semana pela organização do festival.

Você ainda não faz idéia de quem é Avicii? Sem problemas, clica aqui!

Dica: Seek Bromance…

E aí, já comprou seu ingresso? Eu já penhorei as jóias da família…cadê meu ouro?

Veja o line-up do Swu, clique aqui!

New Faces: Dj Myliê

 

Myliê Catarine, mais conhecida como Dj Myliê, iniciou suas atividades como disc-jockey em Janeiro de 2011, na ocasião teve seu primeiro contato físico com um CDJ e um mixer através de um amigo, que nas palavras dela ‘’ me ajudou de tal forma que eu não saberia como retribuir’’. Observando-o, ela achava que seria impossível fazer uma mixagem, pois aquilo para a Dj, era algo de outro mundo. Ela pensava: ‘’Como ele consegue essa sincronia perfeita?’’ Daí então ‘’começaram’’ a treinar e ela começou a perceber que seu desempenho começou a melhorar – o que foi um alívio.  E daí foi surgindo outras curiosidades, como saber sobre equipamentos em gerais, programas e afins… Resolvida a então comprar – começar a comprar – seus equipamentos, que de certa forma facilita todo esse aprendizado, e que, com o suor de seu trabalho.

‘’Acho que é importante deixar essas coisas claras, pois são coisas difíceis que temos que ultrapassar com esforços diários, por que quem acha que ser Dj é fácil está enganado. Atrevi-me a tocar em uma balada sendo que não tinha experiência no assunto, então o resultado não tão esperado foi: SAMBA. Mas algo que sempre coloquei em primeiro lugar, foi a minha enorme confiança no meu repertório, por que é isso que ‘’a pista’’ quer ouvir, uma boa música. ’’

 Passado algum tempo, a Dj teve a oportunidade de fazer a sua primeira apresentação em uma festa, na data de 12 de Junho de 2011, onde a mesma ficou surpresa com sua própria  performance e surpreendeu a todos aqueles que estavam na pista. Para ela, isso foi muito gratificante e proporcinou ainda mais confiança em seu próprio trabalho. E através dessa performance, ela começou a recebe  mais convites para festas, open airs, baladas como Porto Music Bar, Bar Verde, Bofetada Club, Tribos, Bombar Fest, Eletro Sunday, Babylon e  Girl On The Floor.

‘’E cheguei aqui, e com toda certeza não foi sozinha, pois neste período conheci pessoas maravilhosas que doam de si antes de pensar em si mesmas. E claro Deus que me mostrou e ainda mostra o caminho por onde devo seguir sempre! E sei que isso é só o inicio da minha pequena história, pequena, porém cheia de luta e de muito esforço, pois a recompensa está na pista, quando esta dança ao som da minha música. ’’

Fique ligado para saber mais novidades sobre seu trabalho e sobre sua agenda!
Facebook: /MyliCatarine

Bookings
E-mail: mylicatarine@hotmail.com
Tel: 11-61422641

 1- O que você espera da carreira de Dj?
Espero o meu futuro. Espero sempre ter a responsabilidade de tocar de verdade e com amor. Mostrar o meu trabalho com humildade e sem nunca deixar pra trás o que sempre trouxe comigo: a paixão pela música.

2- Há quanto tempo toca?
Pouco tempo, cerca de 3 meses oficialmente.

3- Qual seu estilo favorito?
Tribal e Dirty sem dúvidas.

4- Qual equipamento você utiliza?
Cdjs Pionner (na maioria das vezes), mas isso é o de menos.

5- Quais as 5 tracks que não podem faltar em seu set?
1 * Marcos Carnaval e Rodrigo Vieira – Good Night Drums
2 * The Raytech – Cardiac
3 * Bassjackers and Jorn – 16
4 * Breno Barreto feat Alex Marie – The Music
5 * Hever Jara – Bopa Bo

http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F21458498 

Monga Entrevista: Dj Mauro Trevisan

Mauro Trevisan descobriu seu interesse por música eletrônica nos anos 90, ainda na época em que freqüentava as matinês mais badaladas de São Paulo: Krypton, Resumo da Ópera e Moinho Santo Antônio.
Em 2001, Mauro conheceu o lendário DJ Badinha, foi quando aprendeu os primeiros passos da profissão e de quem recebeu apoio para entrar no cenário musical atuando inicialmente em festas particulares e de amigos, fator que contribuiu para o desenvolvimento de uma paixão incondicional.
Um ano mais tarde, iniciou sua trajetória tocando como convidado em casas noturnas, conhecidas pelo público freqüentador da noite paulistana: Armazém da Vila, Bar Vivo In Motion, Cabaret Disco, Cânter Bar, Casa das Caldeiras, Cheers, Club HiFi, Escape Bar, Hype Club, Kintamani, Maevva, Maori Santa Aldeia
Além de apresentações ao lado de top DJ’s como:Felipe Venâncio, Gabriel Naufel, Harolds, Léo Cury, Marcos Freitas, Mora, Puff, Rodrigo Ferro e Ronaldo Gasparian.
É colaborador do site RádioDJ (maior portal de dance music no Brasil há 11 anos no ar e com mais de 12 mil acessos diários – www.radiodj.com.br), onde faz participações no podcast RádioDJ Music Show. Também atuou como convidado no programa Night Sessions da rádio Energia 97 FM, apresentado por Beto Keller e pelo DJ Badinha.
Na temporada 2008/2009 (mais precisamente no período de dezembro a março), Mauro Trevisan foi o DJ do navio Grand Celebration, com passagens por Buenos Aires e Punta Del Este.
No carnaval de 2010, foi o DJ convidado do navio Zenith, com passagens por Búzios e Salvador.
Ainda em 2010, Mauro Trevisan ganhou seu próprio podcast no site RádioDJ com reconhecimento internacional, o Underground Connection, onde apresenta e mixa as grandes novidades do lado B da música eletrônica e recebe convidados importantes da cena.
 
 Bookings:
E-mail: booking.djmaurotrevisan@gmail.com 
Mobile: +55 (11) 8112-8852

Muita coisa mudou desde o início da produção brasileira de tracks e desde a explosão de dj’s brasileiros no exterior, em sua opinião qual foi a maior mudança no cenário da música eletrônica brasileira?

 Acho que a cena no Brasil cresceu bastante e aos poucos as pessoas começaram a valorizar o produto nacional, que era o mais difícil de acontecer, pois é feito em casa! Com o tempo, as coisas passaram a ser feitas com maior qualidade (que nada deixa a desejar ao que vem de fora), e o avanço tecnológico possibilitou isso. Hoje é muito mais fácil montar um estúdio do que há 10 ou 15 anos, por exemplo. Com a renovação tudo fica mais fácil de acontecer. Novos produtores e DJ’s surgindo, festas e clubs se multiplicando, vertentes e estilos e acho que o principal é a facilidade de contato e o acesso das pessoas com a música eletrônica, tornando o estilo mais conhecido. Tudo isso contribuiu.

  Quando começou a tocar?

 Sempre gostei muito de música eletrônica. Na segunda metade dos anos 90, época das grandes matinêsem São Paulo, foi quando entendi melhor como tudo funcionava. Então, passei a prestar mais atenção no trabalho dos dj’s e a perceber o quanto esse trabalho era fundamental. Aos poucos fui conhecendo e pesquisando os principais profissionais, artistas, músicas e suas versões, equipamentos, técnicas, etc.

Comecei a tocar mesmo no final de 2001, quando a lenda da noite, o grande Badinha (que tocou por 5 anos na Overnight) me deu a primeira oportunidade: ele me olhou bem sério perto do final da noite, passou o headphone e disse “Vai, moleque, hora de começar! Vai em frente e sem medo! Você conhece as músicas. Hora de tentar”. Confesso que não tinha palavras, não consegui falar nada!  Deu um medo gigante de fazer bobagem, mas foi legal. Obviamente não foi perfeito, não foram as melhores mixagens, mas foi bacana e muito importante.

  O que mais te deixa feliz e o que mais te incomoda quando está tocando?

 Acho sensacional o reconhecimento do trabalho e me dedico muito pra isso. Gosto de ver as pessoas felizes, dançando e se divertindo. Sinal de que meu trabalho agrada. O que mais me incomoda é gente que acha que cabine é camarote, entra pra perturbar e atrapalhar, sem conveniência nenhuma; e o pior: sem pedir licença e sem convite! DJ é profissional da noite e a pista é em outro lugar. Respeito, por favor! Ah! Claro, não posso esquecer aqueles que ficam de olho no case querendo descobrir a versão que você esta tocando de determinada música. Perguntar ainda é a melhor opção!

  Qual a dica pra quem está começando a tocar?

 Muita dedicação, pesquisa, estudo, determinação e paciência. Respeite as pessoas e o público. Há espaço para todos, apesar do mercado inchado. Não precisa pisar em ninguém para vencer.

 O que você acha da popularização da profissão de DJ’s e da invasão das ‘’celebridades’’ nas pick-ups?

 A resposta para essa questão virá com o tempo. Aos poucos as pessoas vão ver que isso perdeu a graça e quem é bom, quem sabe o que está fazendo realmente e quem está apenas como oportunista. Acho o trabalho deste blog e do Porra DJ importantíssimos! Ainda que represente pouco, pois a internet não tem limites, conta bastante! Outra dia ouvi o DJ Ronaldinho (rádio Energia 97) dizer ao final de uma edição do seu programa que “todo ano a Globo coloca no mercado 17 novos DJ’s. São os ex-BBBs!”. Achei sensacional! E penso exatamente da mesma maneira. É triste e deprimente ver que infelizmente a noite depende desse tipo de coisa em nosso país! Enquanto lá fora os grandes nomes da cena eletrônica tocam nos principais clubs e festivais com enorme frequência, aqui muitos donos de casa noturna e promoters optam por colocar a foto e o nome de um ator, ex-atleta ou subcelebridade nos flyers, atrás de uma notinha na revista Caras ou no site Ego. É lamentável! O mercado cada vez pior e tem muito profissional importante e talentoso sem espaço por causa dessas papagaiadas! Como disse uma vez o saudoso Ricardo Guedes: “O futuro dos DJ’s no Brasil é negro! Não vejo luz no fim do túnerl!”.

 A profissão de DJ lhe proporcionou muitas coisas, conseguiu conquistar tudo o que queria ou ainda falta alguma coisa?

 Conheci muita gente, fiz boas festas, realizei alguns sonhos e desejos. Posso dizer que ao longo desses 10 anos, me diverti bastante. Gosto muito do que faço, mas algumas coisas me chateiam e me fazem pensar em largar a carreira. A falta de respeito com o profissional e a desunião no meio são duas que posso citar. A falta de valorização e reconhecimento, infelizmente são fatos que ocorrem. Ainda faltam algumas coisas, mas não sei se vai dar tempo de concretizar. Acho que paro de tocar antes. 

 Quais são seus planos para o futuro? Algum projeto vem por aí? 

Tenho alguns planos, mas vamos deixar as coisas acontecerem no seu tempo. Pode ser que apareça um novo projeto no mercado.

Qual foi a maior dificuldade que você encontrou no início de sua carreira?

Não posso reclamar da falta de oportunidade, pois consegui lugar para trabalhar quando comecei a me dedicar mais e agradeço muito às pessoas quem me ajudaram, deram apoio e apostaram em mim.

Quais são suas maiores referências musicais ou grandes inspiradores?

Nunca escondi de ninguém que minhas inspirações foram alguns profissionais que hoje, felizmente, posso chamar de amigos! Ronaldinho, Ronaldo Gasparian, Harolds, Badinha e o falecido Ricardo Guedes, com quem infelizmente não tive contato. Também gosto de ver em ação outros nomes de fora: David Guetta, Laidback Luke, Chuckie, Steve Angello, Kaskade, Sebastian Ingrosso…

 

http://player.soundcloud.com/player.swf?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F20236550 DJMauro Trevisan – Set Agosto 2011 by maurotrevisan

Informativo

Em relação à sessão ”New Faces” do Blog da Monga, postada em 19 de agosto de 2011. 

O post sobre o Dj Ulisses Honor foi removido à pedidos do próprio.

Esclarecemos que o Blog da Monga segue rigorosas regras em relação à divulgação de novos Dj´s e informações sobre os mesmos.

Você conhece a nossa política aqui.

Toda a informação postada nessa sessão, é de total responsabilidade do Dj citado.

E como foi uma solicitação do próprio, o post foi removido por motivos alheios à nossa vontade.

Mas respeitamos a decisão do Sr. Ulisses Honor.

Desejamos sucesso ao Dj Ulisses e agradecemos a participação.

Atenciosamente,

Thiago Mota e Aline Mourad

Remixando informações | Produzindo humor e cultura!